Não é a primeira vez que um Rolling Stone resolve contar sua história de sexo, drogas e rock n’ roll; Bill Wyman, o baixista da banda até 1992,