As origens reais do mundo mágico de Harry Potter – Revista Eletricidade

As origens reais do mundo mágico de Harry Potter

STEVE ARK - FOTO: DIVULGAÇÃOAos 46 anos, Steve Vander Ark é um bibliotecário que trabalha em uma escola elementar no estado de Michigan e um apaixonado por cultura pop; tanto que seu primeiro trabalho como escritor foi uma enciclopédia sobre a série de TV Star Trek – The Next Generation.

Mas no ano 2000, sua atenção foi tomada por um outro assunto, também popular, mas de origens literárias, Harry Potter e seu mundo mágico passou a ser quase uma obsessão para o escritor e no mesmo ano, ele começou a trabalhar em um grande projeto, o Harry Potter Lexicon, uma verdadeira enciclopédia online com todas as informações possíveis sobre o universo dos livros de JK Rowling.

O site chegou até a ser premiado pela autora e Steve ganhou um lugar de prestígio entre os fãs, até que em 2007, quando decidiu publicar o conteúdo do site em livro, JK Rowling decidiu processar os editores de Steve por desrespeito aos direitos autorais, o que impediu que o livro chegasse às lojas no formato planejado.

Depois dos problemas legais resolvidos com um acordo, somente em 2009, o livro de 400 páginas, finalmente chegou às lojas “The Lexicon: An Unauthorized Guide to Harry Potter Fiction and Related Materials”.

O autor publicou também “In Search of Harry Potter”, relatando suas viagens por toda a Grã Bretanha em busca dos lugares reais  que inspiraram os cenários imaginários descritos na série.

Como especialista no assunto, Van Ark, como é mais conhecido pelos fãs do bruxinho, é constantemente convidado para palestras e eventos onde apresenta seus conhecimentos de estudioso do universo muito peculiar de Harry Potter.

Uma delas, aconteceu no início do mês de Outubro, na cidade de Hudson, no estado de Ohio, onde Van Ark encontrou uma plateia ávida pelas informações coletadas ao longo de seus anos de estudos e pesquisas.

Segundo o autor, a origem dos animais fantásticos e monstros da série é mesmo o folclore britânico; “os grindlows, por exemplo, são do folclore de Yorkshire, eram uma espécie de “bicho-papão” que os pais usavam para manter as crianças longe de águas profundas”.

As palavras usadas no livro como feitiços, no entanto, têm origens mais “clássicas”; expressões do latim, a língua oficial do Império Romano e mais tarde da Igreja Católica aparecem o tempo todo, como por exemplo “‘Evanesco’, o feitiço para provocar o desaparecimento significa simplesmente ‘desaparecer’, em latim”.

Mas existem origens menos nobres, como alguns nomes de doces e de personagens que fazem referência a quadros do programa de humor do grupo britânico Monty Python.

PLATAFORMA 9 3/4 NA ESTAÇÃO KING'S CROSS, EM LONDRES - FOTO: DIVULGAÇÃOOutro capítulo interessante da palestra de Van Ark versa sobre os locais onde as aventuras de Potter acontecem; muitos deles, como a estação King’s Cross, em Londres, já recebem um grande número de turistas que a visitam principalmente, para fotografar a placa da “Plataforma 9 3/4”, incluída na estação como uma homenagem a obra de Rowling.

Van Ark encontrou algo de real até mesmo nos lugares inventados por Rowling; o escritor localizou a área onde poderia estar o Caldeirão Furado, o famoso bar de bruxos e até descobriu que existe um Hospital St. Mungo’s que em sua versão real atende pessoas pobres.

Mas o relato mais impressionante de Van Ark é sobre um dos cenários chave do livro final da saga,”Harry Potter e as Relíquias da Morte”: Godric’s Hollow, a cidadezinha onde a família Potter vivia e onde se localiza o cemitério onde os pais de Harry estão enterrados é na verdade um pequeno povoado perto de Devon e segue em muitos detalhes a descrição feita no livro.

GODRIC'S HOLLOW (CENÁRIO DA SAGA HARRY POTTER) - FOTO: DIVULGAÇÃO“Eu estava andando pelo cemitério, ao lado desta pequena igreja,” ele diz “Um lugar muito bem cuidado, dando uma olhada aqui e ali, quando, de repente, encontrei um túmulo de uma mulher chamada Lily (Lilian na versão em português), que era casada com um homem chamado James (Thiago, na versão em português). Agora, será que Jo Rowling sabia disso? Provavelmente não, mas fiquei todo arrepiado.”

Ainda não há uma previsão do lançamento em português dos livros de Steve Van Ark, mas seu website (www.hp-lexicon.org/) continua sendo a melhor fonte de informação sobre o universo do bruxinho mais famoso do mundo.

Adriana Maraviglia
@drikared

Entre no Facebook e deixe seu comentário: