Paul McCartney volta à cena com disco de inéditas – Revista Eletricidade

Paul McCartney volta à cena com disco de inéditas

NEW - PAUL MCCARTNEYEle fez de novo… Paul McCartney, do alto dos seus 71 anos, fez mais um disco perfeito, para entrar em seu longo currículo de serviços inestimáveis prestados à música. “New” é uma aula de música boa, prontinha para despertar amor à primeira audição.

“New” chega depois de “Kisses in the Bottom” (2012), um disco de regravações de velhas canções que segundo o artista, fizeram parte de sua formação musical, um trabalho bem feito, mas para os fãs é ainda melhor vê-lo retomando seu lado autoral, neste que é seu 16º álbum e de uma maneira tão positiva.

Paul pode ser um veterano da música, mas cercou-se de produtores que embalaram seu trabalho em uma sonoridade moderna, boa de ouvir, com guitarras roqueiras dividindo espaço com pop eletrônico e até com o blues acústico, mais tradicional.

Com quatro produtores diferentes, entre eles, Giles Martin (filho do produtor George Martin), Paul apresenta uma nova coleção de canções inéditas que parecem reafirmar ao mundo que o músico não só continua vivo, mas que não se contenta em simplesmente repetir velhas fórmulas ou continuar “tocando o barco”, apenas relançando variações de seu antigo catálogo, de olho naquele público saudosista que faz de seus shows um sucesso estrondoso.

Claro que uma audição mais atenta conseguirá captar ecos dos Beatles em diversos momentos do disco, como nas faixas “On My Way to Work” e “Queenie Eye”; que têm aquela identificação mais imediata com a sonoridade de sua antiga banda, mas ele fica bem longe da armadilha da auto-repetição.

Aliás longe disso… nada mais anti saudosismo do que a eletrônica “Road”; produzida por Paul Epworth, a música surpreende quem vai atrás do novo disco em busca do passado.

Não que ele se recuse a encarar sua história, a linda balada acústica “Early Days” é sobre um passado que Paul revisita com muita doçura e um pouco de tristeza. Ele ainda aproveita a letra para cutucar os chamados “especialistas” na obra da banda, dizendo que eles podem não saber sobre o que estão falando: “Now everybody seems to have their own opinion/Who did this and who did that/ But as for me I don’t see how they can remember/When they weren’t where it was at” (Agora todos parecem ter suas próprias opiniões/Quem fez isso e quem fez aquilo/ Para mim, não vejo como eles podem lembrar/Quando não estavam lá quando as coisas aconteciam).

Mark Ronson, o terceiro produtor do disco, é o responsável pela faixa título “New” e também por momentos mais pops do disco como “Alligator”, já Ethan Johns e Giles Martin assinam algumas das melhores músicas, como a faixa oculta “Scared”; que com apenas piano e voz, consegue ser arrepiante de tão bela.

Adriana Maraviglia
@drikared

 

Lista de faixas de “New”:
1. Save Us
2. Alligator
3. On My Way To Work
4. Queenie Eye
5. Early Days
6. New
7. Appreciate
8. Everybody Out There
9. Hosanna
10. I Can Bet
11. Looking At Her
12. Road

Bonus (edição DeLuxe):

13. Turned Out
14. Get Me Out Of Here

15.Scared*

*Faixa Oculta

Confira o vídeo da faixa “Queenie Eye”:

Entre no Facebook e deixe seu comentário: