Diana Krall grava disco de hits radiofônicos de décadas passadas – Revista Eletricidade

Diana Krall grava disco de hits radiofônicos de décadas passadas

dianakrallcapaUm nome já bastante consagrado no Jazz, como cantora e pianista, Diana Krall algumas vezes encara alguns projetos que fogem bastante desse nicho. É o caso deste seu décimo segundo álbum, “Wallflower”, um disco com músicas pop que, de uma forma ou de outra fazem parte de um repertório que tocou muito no rádio nas últimas décadas.

A interpretação é suave e as canções quase sempre são baladas românticas e assim, lançado agora, no início do mês de fevereiro, não tem como negar que ele também chega em boa hora para aproveitar as vendas extras que o Dia dos Namorados (14 de Fevereiro) pode gerar, em diversos países.

A produção ficou nas mãos de David Foster, presidente da gravadora Verve e produtor de muitos sucessos de Celine Dion, Toni Braxton, Barbra Streisand, Rod Stewart e Michael Bublé entre outros, ele é conhecido por dar aos discos que produz um apelo especialmente romântico nos arranjos.

No caso de “Wallflower”, o romantismo ainda conta com um leve “sotaque de jazz” que aproximam o pop das canções dos velhos standards do tradicionalíssimo “American Songbook”.

E é assim, com esse toque mais clássico, que a setentista “California Dreamin”, da banda Mamas and Papas, chega abrindo o disco, em um belo arranjo com teclados, cordas, piano, e, claro, a voz de Diana Krall.

No mesmo clima de doçura vêm “Desperado”, regravação da Banda Eagles e “Superstar”, um dos hits do Carpenters, fazendo a festa para os mais românticos e saudosistas da década de 70.

Já que falamos em hits, “Alone Again (Naturally)”, que também tocou muito nas rádios no início da década de 70, na voz de Gilbert O’Sullivan, traz Michal Bublé dividindo os microfones com Diana, a primeira de uma lista de participações especiais, que também contam com Blake Mills, na faixa “Wallflower”, Bryan Adams em “Feels Like Home” e Georgie Fame em “Yeh Yeh”.

“Wallflower”, a faixa título talvez seja uma das exceções do trabalho, com sua maioria de hits radiofônicos, trata-se de uma canção obscura de Bob Dylan gravada originalmente em 1971, só foi lançada 20 anos depois, na coletânea “The Bootleg Series Volumes 1–3 (Rare & Unreleased) 1961–1991”.

Mas é cantando Beatles em “In My Life” e Paul McCartney em “If I Take You Home Tonight” que a cantora se supera apresentando uma nova leitura para uma música muito querida do público e depois,  revelando uma jóia inédita do ex-Beatle, que, segundo Diana Krall, ela ouviu pela primeira vez durante as gravações de “Kisses in the Bottom” (2012).

Também merecem destaque “Sorry Seems to be the Hardest Word” e “I’m Not in Love”, canções que já receberam inúmeras versões de artistas de todos os gêneros musicais, mas que na voz de Diana Krall ficaram mais uma vez muito interessantes.


Adriana Maraviglia
@drikared

Confira as faixas de “Wallflower”

1. California Dreamin’
2. Desperado
3. Superstar
4. Alone Again (Naturally)
5. Wallflower [feat. Blake Mills]
6. If I Take You Home Tonight
7. I Can’t Tell You Why
8. Sorry Seems To Be The Hardest Word
9. Operator (That’s Not The Way It Feels)
10. I’m Not In Love
11. Feels Like Home Bryan Adams
12. Don’t Dream It’s Over
13. In My Life
14. Yeh Yeh [feat. Georgie Fame]
15. Sorry Seems To Be The Hardest Word (Live / 2014)
16. Wallflower (Live / 2014)

Ouça um trechinho de “California Dreamin'”, faixa de Wallflower, novo lançamento de Diana Krall:

 

Entre no Facebook e deixe seu comentário: