Cantor Prince é encontrado morto – Revista Eletricidade

Cantor Prince é encontrado morto

PRINCE - FOTO: DIVULGAÇÃO

O cantor, multi instrumentista, compositor, produtor musical e ator Prince foi encontrado morto em sua casa, em Mineapolis, nesta manhã de quinta feira.

Ainda não foi divulgada a causa da morte, mas se sabe que ele teria passado mal no jatinho em que voltava para casa, após uma apresentação em Atlanta, no dia 14 de abril, provocando a necessidade de um pouso não programado no aeroporto Quad City International, na cidade de Moline, Illinois, para que o artista pudesse ser levado a um hospital, onde foi atendido com sintomas de gripe e desidratação, tendo recebido alta, para voltar para casa, três horas depois.

Aos 57 anos, o artista deixa um imenso legado musical, onde seu estilo único e talento excepcional o colocaram, ainda em meados da década de 80, na lista dos mais influentes do mundo.

Desde criança, Prince Rogers Nelson, filho do músico de jazz John L. Nelson,  demonstrou um inegável talento para a música e com apenas 7 anos de idade compôs sua primeira música. Seu primeiro contrato com uma gravadora,  a gigante Warner Records, foi assinado ainda em sua adolescência e, em 1978, Prince gravava seu primeiro album, “For You”.

Em 1979, veio o primeiro grande sucesso, o disco “Prince” trazia duas canções que chegaram às paradas de todo o mundo, “Why You Wanna Treat Me So Bad?” e “I Wanna Be Your Lover”, trouxeram a atenção da mídia para a carreira do garoto pequeno e franzino que impressionava a todos com sua musicalidade, um funk dançante, que emprestava elementos do rock e do pop e impressionava público e crítica, logo a primeira audição.

Nos próximos anos, sua carreira  já começava a atrair também a atenção para a controvérsia,  suas letras quase sempre carregavam um forte cunho sexual, além do artista cultivar uma imagem bastante andrógina e cantar em falsete, vieram os discos “Dirty Mind (1980), Controversy (1981) e 1999 (1982); elevando-o a condição de astro internacional.

E vieram obras-primas como “Purple Rain” (1984) e “Sign “O” the Times” (1987), ampliando ainda mais o público do artista e levando-o a receber 7 Grammys, além do Oscar de Melhor Trilha Sonora, no ano de 1985.

Em 1991, o cantor foi uma das principais atrações da segunda edição do Rock In Rio e fez um show elogiadíssimo por crítica e público no Estádio do Maracanã; a apresentação começou com um grande atraso, que fez com que ele entrasse no palco ao som de muitas vaias e xingamentos.

Ainda na primeira metade da década de 90, Prince trouxe ainda mais polêmica para sua carreira ao decidir mudar seu nome de palco para um símbolo impronunciável, resultado da união dos símbolos usados para o sexo masculino (♂) e feminino (♀). O que fez com que a mídia passasse a chamá-lo de “o artista anteriormente conhecido como Prince”.

Em 98, ele deixou a Warner para assinar com a Arista Records e no ano 2000, voltou a se chamar Prince mais uma vez. Em 2004, o artista foi homenageado no Rock n’ Roll Hall of Fame.

O disco mais recente de Prince, “Hit and Run – Phase II” foi lançado em dezembro de 2015 e, desde o dia 21 de janeiro, ele vinha se apresentando sozinho no palco, na turnê “Piano & A Microphone”.

A Revista Eletricidade gostaria muito de publicar uma lista de videoclipes dos grandes sucessos que marcaram sua carreira, mas, em 2014, o artista mandou fechar seu canal oficial e retirar todos os seus vídeos do Youtube, deixando nós, os fãs, sem a possibilidade de sequer homenageá-lo com uma playlist.

Adriana Maraviglia
@drikared

Entre no Facebook e deixe seu comentário: