Em “Pequena Grande Vida”, o diretor Alexander Payne coloca em cheque o mundo em que vivemos – Revista Eletricidade

Em “Pequena Grande Vida”, o diretor Alexander Payne coloca em cheque o mundo em que vivemos

Estreia nesta quinta-feira, dia 22/02, nos cinemas, em circuito nacional, “Minha Pequena Grande Vida”, novo longa estrelado por Matt Damon.

O filme é surpreendente sob todos os aspectos, quem vai ao cinema atraído pela comédia que o trailer sugere irá se deparar com a habilidade de Alexander Payne em  abrir um leque de temas diferentes, em uma história que na superfície parece até banal.

Mais ou menos o que Monteiro Lobato fez em seu “A Chave do Tamanho”(publicado em 1942), usando uma história voltada ao público infantil, para falar muito seriamente aos adultos sobre a política de sua época.

Entre as muitas questões que a ficção científica, escrita a quatro mãos por Payne e Jim Taylor, levanta está o sonho com a vida em uma sociedade ideal, um tema recorrente tanto no cinema como na literatura.

Em um futuro próximo, cientistas noruegueses descobrem uma técnica para encolher seres humanos, deixando-os com apenas 12 cm de altura, o que, poderia ajudar muito o mundo com os problemas de sustentabilidade que precisamos combater hoje em dia.

Paul Safranek (Matt Damon) é um terapeuta ocupacional que não vê muitos horizontes em sua vida profissional, mas ainda sonha em conseguir ter muito mais.

Com a promessa de que sua pequena poupança vale milhões de dólares nas comunidades de pessoas encolhidas, Paul e Audrey (Kristen Wiig), sua esposa, decidem passar pelo procedimento, mas nem tudo sai como eles esperam e Paul precisa reconstruir sua vida, em sua nova situação.

Matt Damon faz um belo trabalho ao  retratar o homem comum que se vê em uma situação extraordinária,  o grande Christoph Waltz, também está muito bem como seu vizinho festeiro, mas é Hong Chau, como a ativista vietnamita Ngoc Lan Tran quem dá um show de interpretação no filme, humanizando a trama e criticando o tratamento reservado aos imigrantes nos países ricos. Não é a toa que a atriz entrou na lista de indicados ao Globo de Ouro de melhor coadjuvante.

Um belo pequeno filme que não é mero entretenimento, mas oferece uma oportunidade de reflexão sobre o que andamos fazendo com este planeta e como tratamos nossos semelhantes.

Valéria Maraviglia
@revistaeletricidade

Assista ao trailer de “Pequena Grande Vida”:


Entre no Facebook e deixe seu comentário: