Jota Quest coloca o público para dançar no Tom Brasil, em noite com ingressos esgotados – Revista Eletricidade

Jota Quest coloca o público para dançar no Tom Brasil, em noite com ingressos esgotados

 

A turnê do Acústico Jota Quest que começou no ano passado, continua e, como costuma acontecer com quase todas as turnês,  seus shows vão sofrendo modificações no decorrer da estrada e o repertório vai aos poucos mudando, distanciando-se cada vez mais das  primeiras apresentações e do próprio DVD que o gerou.

No caso do Jota Quest,  uma banda que já tem mais de 20 anos de história, o projeto de gravar um acústico serviu para dar um novo fôlego tanto para os músicos, como para seu público, que recebeu de presente novas versões para músicas que já estavam há muito tempo no repertório, que, com os novos arranjos, soam novas mais uma vez, prontas para serem redescobertas.

E em noite de casa lotada e ingressos esgotados, o Tom Brasil recebeu  um público de todas as idades, que teve a oportunidade de ouvir de perto estas velhas canções em uma nova roupagem.

Visualmente o show também impressiona,  o telão que serve de cenário funciona como complemento ideal e torna o espetáculo ainda mais atraente.

No repertório, alguns dos grandes hits da banda como “Encontrar Alguém” e “Do Seu Lado”, mas também velhas favoritas como “O Vento” e “Vou Praí” que se encaixaram muito bem entre as inéditas do novo trabalho como “Você Precisa de Alguém”.

Músicas como “O Sol”, que no DVD recebeu a participação mais do que especial de Milton Nascimento, levantam o público logo nos primeiros acordes e, mesmo em uma noite com mesas e cadeiras na pista, todo mundo sai dançando porque o suingue dos músicos excepcionais do Jota Quest é mesmo irresistível.

“De Volta ao Planeta” nesta nova turnê,  virou um verdadeiro manifesto político, mostrando no telão imagens recentes da política brasileira, que, convenhamos, ultimamente, anda mais anti-Brasil do que nunca.

Adriana Maraviglia
@drikared

 

 

Confira a Galeria de Fotos do show do Jota Quest no Tom Brasil (02/08/18):