Cinebiografia de Van Gogh convida a percorrer os cenários de sua obra – Revista Eletricidade

Cinebiografia de Van Gogh convida a percorrer os cenários de sua obra

Não é de hoje que a história trágica do pintor Vincent Van Gogh atrai a atenção de diretores e roteiristas que a recriam nas telas do cinema em um grande número de filmes, originando obras memoráveis como ‘Sede de Viver” (1956) e absolutamente belas como a animação “Com Amor, Van Gogh” (2017) ou que unem as duas características como “No Portal da Eternidade”, novo filme do diretor Julian Schnabel que acaba de chegar aos cinemas brasileiros.

Com uma performance sublime de Willem Dafoe, o roteiro segue o pintor nos últimos anos de sua vida, depois de ver sua obra rejeitada, Van Gogh se muda para Arles, no Sul da França, junto com o amigo Paul Gaughin (Oscar Isaac).

Lá, passa a pintar muito, mas começa a enfrentar fantasmas que o arrastam cada vez mais para a depressão e a loucura que terminarão por derrota-lo.

E se o filme acompanha o pintor em cada passo rumo ao fim, a fotografia de Benoît Delhomme busca mostrar o caminho que sua visão artística de gênio extraordinário percorre, convidando a plateia a ir reconhecendo pessoas e cenários eternizados em suas obras.

Para quem gosta de artes plásticas, uma oportunidade imperdível de ver na tela do cinema um espetáculo encantador.

No Portal da Eternidade” foi indicado a apenas um Oscar, o de Melhor Ator para Willem Dafoe.

Adriana Maraviglia
@drikared

Entre no Facebook e deixe seu comentário: