Bohemian Rhapsody é o grande vencedor da noite em que o Oscar fez história – Revista Eletricidade

Bohemian Rhapsody é o grande vencedor da noite em que o Oscar fez história

Aconteceu na noite de ontem, em Los Angeles, a 91º edição do Oscar, o prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que no ano passado, teve todos os discursos voltados à inclusão e neste ano pudemos ver na prática o que os discursos queriam dizer.

Pela primeira vez na história do Oscar,  o número de premiados negros (7) e mulheres (15), bateram todos os recordes da premiação, indicando que  talvez Hollywood tenha mesmo  aprendido a lição que já vinha sendo ensinada à indústria cinematográfica há alguns anos.

E além da mudança no perfil dos premiados, o próprio show também  sofreu uma  alteração importante em seu formato,  foi a primeira edição sem  apresentadores, depois que o formato foi tentado e enterrado, na edição de 1989,  depois de ser massacrada pela crítica.

O show foi aberto por uma curta apresentação da banda Queen, com Adam Lambert nos vocais, encantando os astros presentes no Dolby Theater, com trechos de “We Will Rock You” e “We Are The Champions”.

Outro momento que encantou o público foi a reedição no palco do dueto entre Bradley Cooper e Lady Gaga, apresentando a canção “Shalllow”, vencedora na categoria Melhor Canção Original e único Oscar da noite para “Nasce uma Estrela”.

O prêmio especial Irving Thalberg,  dado a produtores de cinema, foi para as mãos de Kathleen Kennedy e Frank Marshall,  com uma longa carreira associada aos enormes sucessos dos filmes do diretor Steven Spielberg.

Em um ano em que nenhum filme recebeu um grande número de prêmios, o maior destaque ficou com   “Bohemian Rhapsody”, a cinebiografia do cantor Freddie Mercury,  levou para casa  4 dos 5 prêmios a que foi indicado, incluindo o de melhor ator para Rami Malek.

Olivia Colman, de “A Favorita” levou o prêmio de Melhor Atriz, vencendo Glenn Close (A Esposa),  que chegou à sétima indicação de sua carreira, e  estava na lista de apostas  certas, já que levou o Globo de Ouro  neste ano.

Enquanto  “Roma”, uma produção da NETFLIX,  recebeu 3  dos mais importantes prêmios da noite, melhor fotografia, direção e filme estrangeiro, consagrando uma história muito pessoal do diretor mexicano  Alfonso Cuarón.

E muito provavelmente não levou para casa o prêmio  mais importante  da noite, o de Melhor Filme,  porque esbarrou  no velho conservadorismo da Academia, que não se arriscou em dar o prêmio mais prestigiado da indústria para uma produção feita pela NETFLIX, uma empresa de Streaming,  subvertendo a lógica dos grandes estúdios e nem para “Infiltrado  na Klan”, um libelo anti-racista  do diretor Spike Lee, bem  mais incisivo e estiloso  do  que “Green Book – O Guia”, do diretor Peter Farrelly, o grande vencedor da noite.

Adriana Maraviglia
@drikared

Lady Gaga e Bradley Cooper cantando “Shallow”, ao vivo, no Oscar 2019

Lista completa de vencedores do Oscar 2019

Melhor Atriz Coadjuvante –  Regina King (Se a Rua Beale Falasse)
Melhor Ator Coadjuvante- Mahershala Ali (Green Book – O Guia)
Melhor Roteiro  Original – Green Book – O Guia
Melhor Roteiro Adaptado —  Infiltrado na Klan
Melhor Animação –  Homem-Aranha no Aranhaverso
Melhor Filme Estrangeiro – Roma (México)
Melhor Documentário  –  Free Solo
Melhor Direção de Arte  – Pantera Negra
Melhor Fotografia – Roma
Melhor Figurino – Pantera Negra
Melhor Maquiagem –  Vice
Melhor Edição –  Bohemian Rhapsody
Melhor Trilha Sonora –  Pantera Negra
Melhor Canção Original – “Shallow” (Nasce uma Estrela)
Melhores Efeitos Visuais –  O Primeiro Homem
Melhor Edição de Som – Bohemian Rhapsody
Melhor Mixagem de Som –  Bohemian Rhapsody
Melhor Curta-Metragem – Skin
Melhor Animação Curta-Metragem – Bao
Melhor Documentário Curta-Metragem – Period. End of Sentence
Melhor Atriz – Olivia Colman (A Favorita)
Melhor Ator – Rami Malek (Bohemian Rhapsody)
Melhor Direção  – Alfonso Cuarón (Roma)
Melhor Filme  –   Green Book – O Guia

 

Entre no Facebook e deixe seu comentário: