Lista Especial: 13 curiosidades sobre Star Wars – Revista Eletricidade

Lista Especial: 13 curiosidades sobre Star Wars

Hoje é o dia em que todo mundo se lembra de uma das melhores sagas cinematográficas de todos os tempos: “Star Wars”, a obra prima de George Lucas.

A data, 4 de maio, foi escolhida porque lembra uma frase que aparece em toda a saga: “Que a Força esteja com você!” em inglês “May the Force be With You” soa muito próximo de “May the Fourth, be With You”; ou “Dia 4 de Maio esteja com você”. 

A saga narra uma longa luta entre o bem e o mal, que acontece em uma galáxia muito distante. Tudo começou em 1977 e continua até hoje, já aguardando a estreia do nono capítulo, que fecha a terceira trilogia da franquia:  “Star Wars 9 – A Ascenção de Skywalker”, prometida para o dia 19/12.

E para comemorar, a Revista Eletricidade traz 13 curiosidades sobre “Star Wars”. Que a Força esteja com todos vocês!

1.A ordem para assistir aos filmes

Nos planos originais de George Lucas existiam três trilogias; mas quando ele apresentou seus planos para os estúdios da Fox, os executivos não acreditaram muito na longevidade da história e pediram que ele escolhesse apenas uma das trilogias. E ele escolheu os capítulos IV, V e VI.
Na hora de maratonar na saga é possível seguir a ordem cronológica dos acontecimentos, mas é muito melhor levar em consideração a ordem de lançamento dos filmes, para que todas as revelações da trama tenham um maior impacto:

– Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977)

– Episódio V: O Império Contra Ataca (1980)

– Episódio VI: O Retorno do Jedi (1983)

– Rogue One – Uma História Star Wars (2016)

– Han Solo – Uma História Star Wars (2018)

– Episódio I: A Ameaça Fantasma (1999)

– Episódio II: O Ataque dos Clones (2002)

– Episódio III: A Vingança dos Sith (2005)

– Episódio VII: O Despertar da Força (2015)

– Episódio VIII Os Últimos Jedi (2017)

– Episódio IX: A Ascenção de Skywalker (19/12/2019)

2. “- Eu tenho um mau pressentimento sobre isso…”

Não importa o que aconteça, não importa qual parte da história você está assistindo, alguém, em algum ponto do filme dirá exatamente esta frase. No capítulo IV ela é dita duas vezes, uma por Luke Skywalker, outra por Han Solo. E no filme mais recente “O Último Jedi”, a frase é dita pelo pequeno (e fofo!) robô BB8.

 

3. Um outro Han Solo?

Harrison Ford não foi a primeira escolha de George Lucas para interpretar o heroico capitão da nave Millenium Falcon, na verdade, Lucas chegou a fazer testes com diversos atores, entre eles, Al Pacino, Burt Reynolds, Christopher Walken e Jack Nicholson.

4. O letreiro de abertura dos filmes

No roteiro que George Lucas tinha escrito tudo começava com a frase: “Há muito tempo, em uma galáxia muito distante…” aparecia, ao som da maravilhosa música de John Williams, antes que um letreiro contextualizando o que estava acontecendo naquele momento, corria pela tela, tendo como pano de fundo o espaço.
Mas, na época, existiam regras bem específicas do Sindicato dos Diretores que obrigavam que as primeiras cenas do filme trouxessem os créditos da produção.
Com esse impasse em mãos, George preferiu retirar-se do Sindicato, pagar a multa e filmar, com o texto escrito, esticado sobre uma superfície, enquanto a câmera fazia todo o movimento. E pensar que hoje em dia dá para conseguir o mesmo efeito com um aplicativo de celular.
Os filmes “Rogue One” e “Solo” são as exceções e não possuem letreiro de abertura; apenas começam com a frase “Há muito tempo, em uma galáxia muito distante.”

5. A classe de 2001

George Lucas nunca escondeu sua admiração por Stanley Kubrick, particularmente por “2001: Uma Odisseia no Espaço”, filme de 1968, que Lucas sempre considerou o mais perfeito filme de ficção científica da história do cinema. Por isso, na hora de decidir como seria visualmente seu filme, Lucas recorreu ao filme de Kubrick. Para isso, contratou diversos profissionais que trabalharam com Kubrick. Estes profissionais ficaram conhecidos como “a classe de 2001”.

6. Liam Neeson não cabia nos cenários

Durante as filmagens da segunda trilogia, a produção teve um problema inusitado com a altura do ator Liam Neeson. O ator irlandês que foi escolhido para ser o mestre Jedi  Qui-Gon Jinn era alto demais para as portas que precisava atravessar e tudo teve que ser reconstruído para as filmagens do “Episódio I: A Ameaça Fantasma”, a um custo de 150 mil dólares.

7. Um personagem como resultado do trabalho de quatro pessoas

Considerando apenas a primeira trilogia, a criação do mega vilão Darth Vader exigiu o trabalho conjunto de quatro pessoas. O corpo de Vader é representado pelo fisiculturista David Prowse, que tem 1,98 de altura. O dublê, que substituía Prowse nas cenas de ação chama-se Bob Anderson. A voz do vilão é do ator James Earl Jones e o rosto que aparece por baixo do capacete é do ator Sebastian Shaw.

8. O final que não aconteceu

George Lucas chegou a cogitar que o último capítulo da primeira trilogia “Episódio VI: O Retorno do Jedi” poderia terminar de um jeito bem diferente.
A cena em que Luke Skywalker tira a máscara de Darth Vader seria muito mais assustadora se, depois de pegar a máscara em suas mãos, o jovem jedi a vestiria em seu próprio rosto, sucumbindo ao Lado Negro da Força.

9. Uma surra para justificar o rosto machucado

O ator Mark Hamill sofreu um acidente de carro que machucou seu rosto no final das filmagens do episódio IV. Com o nariz e o rosto quebrados, foi necessário que adicionassem uma cena a produção do episódio V em que Luke tem problemas com um Wampa.

10. Quase que Yoda foi interpretado por um chimpanzé

Para fazer o Mestre Yoda foi criada uma máscara pelo artista Stuart Freeborn baseado em seu próprio rosto misturado ao do físico Albert Einstein.
A ideia é que um chimpanzé vestisse essa máscara e andasse pelo cenário usando uma bengala.
Mas tudo mudou e Yoda passou a ser uma marionete dublada por Frank Oz, um especialista no assunto, já que é o criador do Muppet Show.

11. O comunicador que era um barbeador

O aparelho comunicador que o Jedi Qui-Gon Jin usa no Episódio I é na verdade um barbeador feminino da Gillette.

12. David Lynch não quis dirigir

George Lucas chegou a convidar o badalado David Lynch para dirigir “O Retorno do Jedi”, mas o diretor não aceitou e o filme foi para as mãos de Richard Marquand.

13. O maior e mais bem guardado segredo

Nem Mark Hamill, nem David Prowse souberam com antecedência o segredo mais bem guardado da trilogia. George Lucas só contou aos dois na hora de filmar a revelação de que Darth Vader é o pai de Luke Skywalker.

 

Entre no Facebook e deixe seu comentário: