Uma história de sobrevivência em "Meu Nome é Sara" | Revista Eletricidade

Uma história de sobrevivência em “Meu Nome é Sara”

  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
MEU  NOME É SARA - FOTO: DIVULGAÇÃO (A2 FILMES)

Com estreia marcada para o dia 27/02, “Meu Nome é Sara”, que fez parte da programação da 43° Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, no ano passado, já está em cartaz em pré-estreias em diversos cinemas desde o dia 20/02.

Dirigido pelo estreante Steven Orrit, o filme mostra a luta de Sara (Zuzanna Surowy), uma garota judia de 13 anos que mora com sua família em um povoado polonês próximo da fronteira com a Ucrânia até o momento em que se vê obrigada a fugir para tentar sobreviver quando começam chegar notícias de que os nazistas se aproximam.

Passa alguns dias com o irmão Moishe (Konrad Cichon), escondendo-se na floresta e depois segue sozinha e acaba atravessando a fronteira com a Ucrânia.

Um fazendeiro local Pavlo (Eryk Lubos), aceita dar abrigo e comida para a garota, desde que ela não seja judia e trabalhe como babá para sua família. Assumindo o nome de uma amiga de escola e usando tudo o que sabe sobre catolicismo, Sara consegue convencer as pessoas ao redor o suficiente para continuar se mantendo viva.

Ao mesmo tempo ela vai descobrindo os segredos de seus anfitriões e tendo a certeza de não poder contar com sua solidariedade, pois, naquele ponto, toda a população da região teve seu preconceito insuflado contra os judeus e mesmo os que talvez pudessem ajudar eram ameaçados e acabavam mortos.

E com a família de fazendeiros sendo atacada tanto por nazistas como por partisans, rebeldes poloneses que atuam na resistência a eles, ela precisa continuar mentindo para sobreviver.

O nazismo e seus horrores podem até ser assunto batido no cinema, mas “Meu Nome é Sara” traz uma história real de onde esses horrores foram ainda mais cruéis, o leste europeu e seus povoados agrícolas, onde o século XX ainda nem tinha chegado direito, com seus habitantes vivendo como seus antepassados desde a Idade Média.

Com o pretexto de combater o comunismo, os nazistas dizimaram populações inteiras por lá, enquanto saquearam o que podiam, deixando os possíveis sobreviventes para trás para morrerem de fome.

Daí a importância de contar mais uma história de coragem como esta de Sara Gulranick, em um momento em que ignorantes e desavisados, insuflados por religiosos que vivem de explorar a ignorância e os preconceitos, já começam a tentar brandir suas suásticas novamente pelo mundo, conhecer a realidade do mal terrível que elas já promoveram é ter certeza de que a doença do nazismo precisa ser sempre combatida.

Também estão no elenco de “Meu Nome é Sara” Pawel Królikowski, Piotr Nerlewski, Michalina Olszanska, Artur Sokolski, Marcin Sokolski, Aleksandra Pisula e Ksawery Szlenkier.

Adriana Maraviglia
@drikared

Assista ao trailer de “Meu Nome é Sara”: 

Entre no Facebook e deixe seu comentário: