"Destacamento Blood" é obra prima de Spike Lee - Revista Eletricidade

“Destacamento Blood” é obra prima de Spike Lee

Em estreia mundial, chegou hoje à Netflix o novo filme de Spike Lee “Destacamento Blood”.

Um diretor que sempre defendeu a causa negra, entrega, neste momento em que ela está em discussão em todo o mundo, o seu mais forte e explícito libelo antirracista e isso sem sequer sonhar que as imagens da morte de um homem negro nas mãos de um policial racista seriam tão fortes que fariam as pessoas voltarem às ruas, mesmo com a ameaça da pandemia de uma doença mortal, para protestarem pelo fim do racismo.

Um grupo de veteranos formado por Paul (Delroy Lindo), Otis (Clarke Peters), Eddie (Norm Lewis) e Melvin (Isiah Whitlock Jr.) retornam ao Vietnã com o objetivo de repatriar o corpo de Stormin’ Norman (Chadwick Boseman), seu comandante e também de localizar um baú cheio de ouro que enterraram na floresta durante a Guerra.

Spike Lee optou por contar a história a partir da chegada do grupo ao país, contextualizando antes com filmes da época o pensamento dos negros americanos sobre aquela guerra que eles não consideravam deles.

Tudo parece bem com aqueles veteranos, mas o fato de um deles ter votado em Trump revela que as coisas não são exatamente mais as mesmas.

Tendo que lidar com um sem número de traumas do passado, o grupo se embrenha na floresta e de forma magistral Spike Lee conta a história daqueles irmãos que buscam reencontrar o que perderam, mas reencontram antes os terrores de 50 anos atrás.

Mesmo sem ter optado por não usar truques de rejuvenescimento no elenco, as idas e vindas no tempo são sensacionais e trazem imediatamente à lembrança o cenário cruel de “Apocalypse Now” (1979) e mais do que expor os horrores daquela guerra, elas trazem o lado humano de quem um dia se enfiou naquela selva, disposto a perder a vida por uma causa que não importava. 

A música também tem um papel crucial no filme, variando entre “A Cavalgada das Valquírias”, que ajuda a reforçar as alusões ao clássico de Coppola, ao maravilhoso disco “What’s Going On”(1971) de Marvin Gaye que ajuda a causar arrepios em diversas cenas.

Ainda é cedo demais para começar a falar em Oscar, tudo indica que o prêmio da Academia acontecerá só em abril de 2021, mas “Destacamento Blood” já pode se considerar merecidamente dentro de uma lista imaginária de melhores filmes do ano.

Adriana Maraviglia
@drikared

Assista ao trailer de “Destacamento Blood”:

Entre no Facebook e deixe seu comentário: