A manipulação do povo brasileiro em novo documentário - Revista Eletricidade

A manipulação do povo brasileiro em novo documentário

“Sempre assisto a rede Globo… com uma arma na mão…”

A letra da música “Psicopata” composta pelo Capital Inicial nos anos 80 pode ajudar a exprimir o sentimento de indignação que fica após assistir ao filme “A Nossa Bandeira Jamais Será Vermelha”, documentário que denuncia a manipulação da opinião pública exercida por 6 famílias que comandam as grandes empresas de comunicação do país, onde a Rede Globo é o agente mais óbvio. 

O documentário, produzido pela Salamanca Filmes para o canal CINEBRASiLTV e dirigido pelo jornalista Pablo Guelli, mostra a visão da imprensa independente,  lutando para tentar romper o bloqueio dos grandes veículos e levar os fatos ao público.

Com depoimentos de Glenn Greenwald, Noam Chomsky, Luís Nassif, Laura Capriglione, Xico Sá, Jessé Souza, Ana Magalhães, Igor Fuser, Tales Ab’Saber e Rodrigo Vianna, o filme reconta como foram os últimos 7 anos da política brasileira, com  André Abujamra assinando a trilha sonora original. 

Só para lembrar os que viviam na confortável acomodação de “Nárnia” nos últimos tempos, tudo começou com um movimento local em SP, em 2013, em que algumas pessoas foram para as ruas protestar contra um aumento de 20 centavos na tarifa de ônibus e depois de um intenso processo de manipulação e massificação midiática transformou-se no movimento que forneceu o caldo necessário para “legitimar” o  golpe mal ajambrado que terminaria por derrubar a  presidente Dilma Rousseff, em 2016.

Com o agravante de que os tais movimentos levaram de carona ao poder o pior que a política brasileira poderia oferecer, um verdadeiro show de horrores com um pé no fascismo e o outro na mais profunda incompetência, tudo financiado pelos esquemas de corrupção que de forma hipócrita fingem denunciar. 

A concentração da mídia em poucas mãos por aqui é um problema bastante sério, a ponto da própria ONU já ter manifestado preocupação sobre o assunto, classificando como “a mais alta do mundo ocidental”.

Mesmo na mais perfeita das democracias, quando a informação distribuída por veículos de massa como emissoras de TV e jornais se volta apenas aos interesses da elite, a opinião pública passa a defender os autoritários que são  responsáveis pela sua  miséria.  

O documentário pode ajudar a entender o quanto o povo brasileiro foi desrespeitado e “vendido” como massa de manobra, se engajando na luta contra seus próprios direitos e colocando no poder aqueles que trabalham apenas para conseguir mão de obra cada vez mais barata e descartável para patrões que não se interessam com o desenvolvimento do país. 

Quem sabe, finalmente, entenderemos a necessidade de organizar uma luta para acabar de uma vez com esse vale-tudo, antes que ele acabe com todos nós. 

Apesar da indignação que suas revelações produzem, o filme tem sido muito bem recebido nos festivais em que participou e acaba de ganhar o prêmio de Melhor longa-metragem e Melhor Direção no Festival Internacional de Cinema de Santos.

“A Nossa Bandeira Jamais Será Vermelha” estreia no próximo dia 22 de outubro, nas plataformas NOW, iTunes, Vivo, Microsoft e Looke. Imperdível!

Adriana Maraviglia
@drikared

Assista ao trailer de “A Nossa Bandeira Jamais Será Vermelha”:

Entre no Facebook e deixe seu comentário: