O novo filme do diretor mexicano Alejandro Gonzalez Iñárritu traz críticas ferrenhas ao atual “estado de coisas” em que se encontra a chamada sétima arte; cada vez mais