Candidato tunisiano ao Oscar 2021 chega aos cinemas brasileiros

Na lista dos indicados ao Oscar 2021 na categoria de Filme Internacional, “O Homem que Vendeu Sua Pele”, da diretora tunisiana Kaouther Ben Hania, chega nesta quinta-feira (07/10) aos cinemas brasileiros.

Com roteiro escrito pela própria Kaouther, o filme tem por base um inusitado caso real, em 2006, o excêntrico artista plástico Wil Delvoye tatuou as costas de um homem e passou a exibi-lo em museus e galerias de arte pelo mundo.

No filme de Kaouther, o escolhido para ser tatuado pelo artista excêntrico Jeffrey Godefroi (Koen De Bouw) é Sam Ali (Yahya Mahayni), um refugiado sírio que estava sendo perseguido em seu país, mesmo estando muito longe de ser um ativista político.

No Líbano, Sam esbarra com Soraya (Monica Bellucci), a produtora que trabalha para Godefroi e eles propõem para Ali um estranho negócio. O próprio artista se vê como um Mefistófeles moderno, comprando mais do que um pedaço do corpo de Ali, mas sua própria liberdade que fica comprometida quando suas costas se transformam em uma obra de arte.

A ficção criada por Kaouther é bem mais rica e infinitamente mais provocativa do que a história real.

É preciso também falar sobre a atuação de Yahya Mahayni que impressiona como este homem transformado em objeto, depois de tomar uma decisão tão definitiva sobre a própria vida tão apressadamente.

Muito além da arte, o filme se propõe a discutir o valor da vida e da liberdade de um ser humano.

Uma questão muito importante para os dias de hoje em que países ricos muitas vezes negam aceitar a entrada de refugiados que estão com a vida em risco, mas que não teriam qualquer problema em aceitar estas mesmas pessoas caso elas carregassem na própria pele uma obra de arte, como Ali.

Adriana Maraviglia
@drikared

Assista ao trailer de “O Homem que Vendeu a Sua Pele”:

Compartilhe: