Pelé Eterno - A história completa do rei do futebol chega aos cinemas - Revista Eletricidade

Pelé Eterno – A história completa do rei do futebol chega aos cinemas

No dia 25 de junho de 2004 estreia em todo Brasil “Pelé Eterno”  (Pelé Forever), um documentário que tem a intenção de trazer para o cinema a trajetória daquele que foi o maior jogador de todos os tempos.

Dirigido e produzido por Anibal Massaini Neto, o trabalho consumiu cinco anos entre pesquisa, restauração, edição e montagem. Uma ideia antiga, acalentada há muito tempo; segundo o próprio Pelé, por Oswaldo Massaini, consagrado produtor e pai de Aníbal,  que tinha planos de fazer um filme sobre sua vida e sua carreira ainda nos anos 60.

O filme é também um grande marco comercial para o Cinema Brasileiro, trata-se da primeira co-produção no Brasil com as internacionais UIP e Universal, abrindo a perspectiva de lançamento e distribuição em todo o mundo.

O espectador que for aos cinemas estará também testemunhando cenas de uma história única: afinal, foram 21 anos de carreira que produziram 1281 gols, em 1375 jogos disputados e 60 títulos, além disso o jogador foi artilheiro do campeonato paulista por 10 anos consecutivos. Entre as suas principais conquistas destacam-se o bicampeonato Mundial Inter-clubes, dez títulos paulistas, o pentacampeonato da Taça Brasil e, é claro, três Copas do Mundo.

Ao som da música “Pelé Eterno”, composta especialmente por Jorge Ben Jor, toda esta trajetória de sucesso é contada desde os tempos da infância pobre do craque em  Bauru até os dias de hoje, com cenas inéditas e também revelações de sua vida pessoal e profissional.

Para colocar nas telas a história completa, em toda a sua grandiosidade, a produção pesquisou 70 arquivos e conseguiu reunir mais de 450 gols, 3000 fotografias, 210 narrações de gols, 1500 manchetes de jornais e revistas da época e registrou 150 depoimentos de membros da família, amigos, jogadores e celebridades.

Mas alguns lances antológicos não estavam disponíveis em arquivos e  a solução encontrada foi recriá-los; assim, o famoso “Gol de Placa”, no Maracanã, em 1961, foi revivido com a ajuda do time juvenil do Fluminense.

Já a tecnologia do Motion Capture foi utilizada para reviver o gol que Pelé considera como o mais bonito de sua carreira, numa partida entre Santos e Juventus que aconteceu em 1959, no campo da Rua Javari.

Costurar isso tudo em  um só filme de 2 horas de duração foi uma das tarefas mais difíceis de toda a produção, mas o público pode ficar tranquilo, pois as cenas que não entraram no filme serão mostradas em uma minissérie a ser exibida pela Rede Globo, durante a Copa do Mundo, em 2006.

Para quem tem mais de 30 anos,  a referência de futebol no cinema talvez seja as sempre belas imagens dos documentários do “Canal 100”, apresentados  antes de quase  todas as sessões de cinema  entre as décadas de 50 e 90. Para esses, o documentário “Pelé Eterno” terá um sabor ainda mais nostálgico, reforçado pela linguagem clássica em que o filme foi produzido.

O diretor Aníbal Massaini justifica esta opção como a melhor forma de alcançar todos os tipos de público: “Você tem que pensar para quem você está dirigindo a obra, o seu público, que é gente de muita idade ou de pouquíssima idade e também as diferenças de quem conhece muito futebol e aqueles que vão assistir a um filme sobre futebol ; é o mais amplo painel sobre a vida de Pelé e precisava ter uma leitura mais ampla e não direcionada.”

Adriana Maraviglia
@drikared

Entre no Facebook e deixe seu comentário: