“The Getaway” traz novidades ao caldeirão sonoro do RHCP – Revista Eletricidade

“The Getaway” traz novidades ao caldeirão sonoro do RHCP

RED HOT CHILI PEPPERS - FOTO BY STEVE KEROS

Um momento de mudanças, costuma ser uma situação delicada para uma banda veterana, porque  sempre existe a possibilidade dessas mudanças não conseguirem agradar seu público fiel, nem conquistar novos fãs para renovar o público. E é esta a situação que o Red Hot Chili Peppers está vivendo, com este primeiro trabalho sem Rick Rubin, o produtor dos últimos 25 anos, substituído neste novo disco por Danger Mouse.

Mas mudanças também são chances para re-oxigenar uma carreira que andava meio em baixa e isso sempre é positivo.

Neste novo disco, o 11º de sua carreira, intitulado “The Getaway”, Anthony Kids, Flea e Chad Smith estão acompanhados pelo novato da banda, o guitarrista Josh Klinghoffer, que substituiu John Frusciante, em 2011,  e já tinha gravado  o morno “I’m With You”, com a banda.

E se a guitarra sempre ajudou a dar o tom, sendo a segunda coisa que se notava nos Peppers, depois do baixo genial de Flea, agora a banda apresenta uma outra paleta, com outras sonoridades e texturas,  vindas  da música eletrônica, obra do produtor, mas que parecem ter combinado bem com o “caldeirão”, que veio um pouco menos fumegante do que o de costume.

Aí, duas explicações; não levem a mal, o Chili Peppers continua o mesmo bando de rapazes descamisados, que esperamos ver descendo de um skate, lá em Venice Beach, ou voltando da praia, com pranchas de surf embaixo do braço, mas, depois de 33 anos de carreira, as coisas se acalmam um pouco, naturalmente. E tem também o fato do disco ter sido gestado em um momento em que o vocalista Anthony Kiedis amargava uma tremenda dor de cotovelo, depois de um relacionamento desfeito.

RED HOT CHILI PEPPERS - THE GETAWAYA faixa título “The Getaway” abre o disco e é uma daquelas músicas que te pega logo na primeira audição, claro que o baixo de Flea está lá, mas junto com ele, efeitos sonoros que nunca tinham feito parte da história da banda e uma guitarra que vai levando a melodia, de uma forma calma, tranquila, com cara de coisa que vai tocar muito por aí, especialmente no verão americano.

O primeiro single do disco, “Dark Necessities” vem a seguir e sim… Flea continua fazendo a diferença… seu baixo vai conduzindo e tudo lembra o bom e velho RHCP de sempre até que em algum ponto aparece um piano e desfaz a impressão. Mesmo assim, é uma grande faixa, com cara de que vai entrar no repertório da banda de agora em diante.

“We Turn Red” poderia estar em qualquer um dos discos anteriores do Chili Peppers, mas certamente em uma versão um pouco mais crua, essa é a grande diferença do trabalho do produtor Danger Mouse, para o que fazia Rick Rubin. Tudo era mais cru, com menos camadas, menos efeitos e instrumentos, o que dá um resultado final bem diferente daquilo que nos acostumamos associar à banda até agora.

E chega a primeira balada do disco “The Longest Wave” simplesmente soa bem e é gostosa de se ouvir, embora a faixa não chame muito atenção, nada tem de brilhante, mas não compromete o restante do trabalho.

“Goodbye Angels” soa como um meio termo entre a nova proposta sonora e o velho Chili Peppers de sempre, enquanto “Sick Love” é uma parceria inusitada da banda com ninguém menos do que Elton John e se revela uma deliciosa melodia pop.

“Go Robot” também é uma delícia, para ouvir e já sair dançando. Tem cara de festa. A seguir uma dupla um pouco mais crua, “Feasting on the Flowers” e mais ainda “Detroit” trazem a banda de volta ao velho peso de antes, com aquela base suingada que fez do Peppers uma das bandas mais bacanas de se ver ao vivo.

E o peso cresce de vez em “This Ticonderoga”, a mais “roqueira” do disco, que chega rasgando e quando você já tinha saído “batendo cabeça”, aparecem viradas mais calmas apenas para confundir e provar que um pouco de ousadia nunca faz mal.

As três músicas finais, mudam o clima e nos lembram de que Kiedis estava com o “coração partido”, quando fez este disco. Destaque para “Dreams of a Samurai” e seu padrão rítmico todo quebrado, com um resultado surpreendente.

E o disco se encerra trazendo mais uma vez o frescor de uma estrada plenamente aberta novamente para o Peppers. Bem vindos de volta, garotos, estavam fazendo muita falta.

Adriana Maraviglia
@drikared

Confira as faixas de “The Getaway”:

1. The Getaway
2. Dark Necessities
3. We Turn Red
4. The Longest Wave
5. Goodbye Angels
6. Sick Love
7. Go Robot
8. Feasting on the Flowers
9. Detroit
10. This Ticonderoga
11. Encore
12. The Hunter
13. Dreams Of a Samurai

Ouça o primeiro single,  “Dark Necessities”:

Entre no Facebook e deixe seu comentário:

Faça um Comentário