“La La Land – Cantando Estações” celebra a era de ouro do Cinema – Revista Eletricidade

“La La Land – Cantando Estações” celebra a era de ouro do Cinema

Depois de arrebatar os 7 Globos de Ouro  que disputou, o filme “La La Land – Cantando Estações” chega definitivamente aos cinemas brasileiros, onde já vinha sendo exibido em pré-estreias.

Dirigido por Damien Chazelle, um jovem diretor que já tinha surpreendido muito positivamente a crítica e público com seu filme de estreia, o excelente “Whiplash: Em Busca da Perfeição”, que no ano de 2014 levou 3 Oscars, o filme já chega como um dos “queridinhos” da temporada.

As expectativas já eram altas, mesmo considerando que seu novo projeto, seria um musical, gênero que anda quase esquecido, principalmente nas últimas décadas, depois que a Indústria decidiu apostar apenas em filmes com retorno comercial garantido.

Mas “La La Land – Cantando Estações” conquistou logo de cara tanto o público como a crítica, pois se trata de um filme encantador, uma obra muito bem realizada, com um acabamento impecável.

A ideia foi a de homenagear os musicais clássicos e a era de ouro do Cinema e suas super produções musicais que se transformaram em grande arte, entre as décadas de 40 e 50.

Uma Hollywood que já não existe mais há muito tempo, que no filme aparece vestida de “cenário dos sonhos”. É a Indústria do Cinema cantando e dançando sobre o seu próprio mito.

O roteiro conta a história de Sebastian (Ryan Gosling), um pianista apaixonado por Jazz, que tenta viver seu sonho em Los Angeles, quando conhece Mia (Emma Stone), uma atriz iniciante também tentando conquistar seu próprio espaço.

E o filme abre com um longo plano-sequência (quando se cria a impressão de que não há cortes) com cantores e bailarinos dançando em um congestionamento de trânsito, em plena freeway, que sozinho, já vale o filme.

Um belíssimo trabalho em que tudo parece ter dado certo, da atuação de Emma Stone e Ryan Gosling, a trilha sonora, do roteiro a fotografia deslumbrante de Linus Sandgren, da direção a edição, absolutamente tudo funciona e está tão perfeito, que muito provavelmente “La La Land – Cantando Estações” deve também levar uma boa porção de Oscars com facilidade.

Antes que eu me esqueça, o filme recebeu no dia de ontem nada menos do que 14 indicações ao Oscar 2017, empatando com os recordistas “Titanic” (1997) e “A Malvada” (1950).

Adriana Maraviglia
@drikared

Assista ao trailer de “La La Land – Cantando Estações”:

Entre no Facebook e deixe seu comentário: