Um amor adolescente arrebatador em “Verão de 85”

Um thriller em que as lembranças de um amor adolescente arrebatador nos carregam para as emoções do primeiro amor, o filme “Verão de 85” de François Ozon está chegando aos cinemas nesta quinta-feira (03).

Aos 16 anos, Alexis (Felix Lefebvre) está velejando sozinho quando repentinamente tem seu barco virado por uma tempestade. David (Benjamin Voisin), que tem 18 anos, é o “cavaleiro de armadura brilhante” que aparece no mar para resgatá-lo daquela situação de quase morte certa e os dois começam imediatamente uma amizade.

Naquele cenário paradisíaco do verão em uma praia francesa na Normandia, em plena década de 80, a amizade entre os dois garotos vai crescendo e durante as férias, os dois não se desgrudam, até que um dia, toda a amizade se transforma em amor.

Alexis tem toda certeza de que encontrou o grande amor de sua vida, enquanto David parece muito mais apaixonado por sua liberdade e sua capacidade de seduzir todo mundo ao redor, enquanto dispara pelas estradas com sua moto, correndo como se não houvesse amanhã.

A fotografia de Hichame Alaouie carrega nas cores vivas, aquecendo a tela com o sol de verões de uma época em que todo mundo parecia muito mais livre e feliz. 

O filme é baseado livremente no livro “Dance On My Grave”, do escritor britânico Aidan Chambers, um especialista em livros infanto-juvenis, que Ozon tinha lido na adolescência e que ele mesmo transformou em roteiro.

A trilha sonora completa a magia, ajudando a recriar uma época de ouro em que bandas como “The Cure” e “Bananarama” dividiam o espaço das rádios e pistas de dança com a balada “Sailing”, na voz de Rod Stewart.

Visualmente muito bonito, o drama adolescente gay provavelmente, em algum dia no futuro, quando essa onda obscurantista já tiver ficado para trás, é capaz de passar na “Sessão da Tarde”. Serão bons tempos, espero que cheguem logo. 

Adriana Maraviglia
@drikared

Compartilhe: