The Beatles: Get Back – Um mergulho na intimidade da maior banda do mundo

THE BEATLES: GET BACK - FOTO: REPRODUÇÃO

Finalmente o aguardado documentário “The Beatles: Get Back” já está disponível na Disney Plus, em 3 capítulos.

Dirigido por Peter Jackson, o cineasta que trouxe ao cinema a obra de JRR Tolkien, o filme foi editado a partir de quase 60 horas de registros em vídeo e mais de 150 horas de gravações em áudio, feitas originalmente pelo diretor Michael Lindsay Hogg, que, em 1969, ganhou sinal verde para acompanhar a banda no estúdio  e testemunhar a preparação do especial de TV que marcaria o retorno dos Beatles aos palcos

Uma volta que era bastante aguardada pelo público, o último show ao vivo do grupo tinha acontecido em 1966, três anos antes, um período que foi muito prolífico para a banda em que John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr se fecharam no estúdio e gravaram aquele que é considerado seu melhor trabalho, o icônico “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” (1967).

Mas também dedicaram-se a outros projetos como o filme “Magical Mistery Tour” e uma longa estadia em Rishikesh, na Índia, no ashram do guru Maharishi Mahesh Yogi, em 1968. Isso tudo após perderem o empresário Brian Epstein, morto em 1967, aos 32 anos de overdose de calmantes.

Voltando ao filme editado por Jackson, ele não é voltado apenas para os aficionados, que já sabem tudo sobre a carreira dos Beatles, mas toma o cuidado de contar ao público alguns detalhes importantes que aconteceram na trajetória desde seu início em Liverpool, em 1960.

Depois desse pequeno prólogo, o filme mergulha no estúdio propriamente dito e, por causa da natureza do projeto, o público tem o privilégio de observar bem de perto o trabalho de uma das bandas mais importantes da história da música, que mesmo em um momento muito difícil, continuava sendo uma verdadeira fábrica de hits.

Sem querer dar spoilers, além do ponto alto no terceiro capítulo, quando acontece a famosa apresentação no telhado da gravadora Apple, em Londres, o filme tem diversos momentos muito especiais e alguns até dolorosos, como perceber os olhos cheios de lágrimas de Paul McCartney, no início do segundo capítulo, diante da dificuldade que estava vivendo, sentindo que sua banda tinha começado a ruir diante dos seus olhos.

A restauração tanto de imagens como de som é espetacular e ajuda a esclarecer uma porção de lendas que foram contadas aos fãs sobre o que estava acontecendo realmente na intimidade da banda, bem longe dos rumores sensacionalistas que já rodavam em tabloides na época e foram usados para explicar o final da banda.

São mais de 8 horas de filmagens, resultado de 4 anos de trabalho do diretor Peter Jackson, que nos levam para mergulhar na intimidade dos Beatles e quem sabe começar a enxergar seu músicos como o que eles eram realmente, acima de tudo, seres humanos como nós, mas com uma inacreditável capacidade de fazer a música que ainda hoje, 50 anos depois, consegue emocionar o mundo.

Adriana Maraviglia
@drikared

Assista ao trailer de “The Beatles: Get Back”:

Compartilhe: